Antônio Fagundes fala sobre sua carreira em entrevista à Rádio Bandeirantes‏

Fonte: Antônio Fagundes fala sobre sua carreira em entrevista à Rádio Bandeirantes‏

Anúncios

Na semana em que Oposição criou grupo Pró-Impeachment, Operador do PMDB virou delator e de lá para cá Lava Jato é só embromação

Para a Polícia Federal, as investigações da Lava Jato deixam claro que se trata de “um esquema de poder político alimentado com vultuosos recursos da maior empresa do Brasil”.
 
Diante de tais suspeitas, a PF elencou a lista de pessoas do “primeiro escalão” que deveriam ser ouvidas. Lula está lá, embora não tenha mais foro privilegiado. A PF não explica por que pediu ao Supremo a tomada do depoimento – e não à primeira instância. 
 
O pedido ainda será analisado pela Procuradoria-Geral da República. Pelas regras em vigor no STF, os pedidos da PF só são avaliados pelo ministro relator dos casos da Lava Jato, Teori Zavascki, depois de uma manifestação formal do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.
 
Para justificar o pedido, enviado ao ministro Teori Zavascki na última quarta (09/09), o delegado Josélio Azevedo de Sousa diz que o petista “pode ter sido beneficiado pela esquema em curso na Petrobras”.
 
“Atenta ao aspecto político dos acontecimentos, a presente investigação não pode se furtar de trazer à luz da apuração dos fatos a pessoa do então Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que, na condição de mandatário máximo do país, pode ter sido beneficiado pela esquema em curso na Petrobras, obtendo vantagens para si, para seu partido, o PT, ou mesmo para seu governo, com a manutenção de uma base de apoio partidária sustentada à custa de negócios ilícitos na referida estatal”, diz o pedido.
 
O documento ainda complementa: “Neste cenário fático, faz-se necessário trazer aos autos as declarações do então mandatário maior da nação, Luiz Inácio Lula da Silva, a fim de que apresente a sua versão para os fatos investigados, que atingem o núcleo político-partidário de seu governo”.
 
O Instituto Lula afirmou, na tarde desta sexta-feira (11), que até o momento não tem conhecimento do relatório entregue pela Polícia Federal ao Supremo Tribunal Federal pedindo que o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, seja ouvido em inquérito pela Operação Lava Jato no STF, em função de seu foro privilegiado. Lula está a trabalho na Argentina e ainda não teve acesso ao documento.
 
No documento, são mencionados depoimentos de dois delatores da Lava Jato, o doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. O delegado diz que ambos fazem menções ao ex-presidente Lula. “Os delatores presumem que o ex-presidente tivesse conhecimento do esquema, mas não dispõem de elementos concretos para a participação dele”, diz o texto.
 
O delegado Josélio Azevedo de Sousa, que assina o pedido, admite não ter provas diretas que apontam favorecimento do petista no esquema de corrupção da Petrobras.
 
Mesmo assim, acredita que a investigação “não pode se furtar à luz da apuração dos fatos” se Lula foi ou não beneficiado, “obtendo vantagens para si, para seu partido, o PT, ou mesmo para seu governo, com a manutenção de uma base de apoio partidário sustentada à custa de negócios ilícitos na referida estatal”.

PF diz não ter provas, mas pede para ouvir Lula | Brasil 24/7

Órgão utiliza solução israelense para extrair e analisar conteúdo em dispositivos móveis de pessoas suspeitas ou vítimas do esquema

Fonte: PF usa técnica forense para analisar celulares de envolvidos na Lava Jato – IDG Now!

Delegado da PF pede que Lula seja ouvido na Lava Jato

Para a Polícia Federal, as investigações da Lava Jato deixam claro que se trata de “um esquema de poder político alimentado com vultuosos recursos da maior empresa do Brasil”.

Diante de tais suspeitas, a PF elencou a lista de pessoas do “primeiro escalão” que deveriam ser ouvidas. Lula está lá, embora não tenha mais foro privilegiado. A PF não explica por que pediu ao Supremo a tomada do depoimento – e não à primeira instância. 

O pedido ainda será analisado pela Procuradoria-Geral da República. Pelas regras em vigor no STF, os pedidos da PF só são avaliados pelo ministro relator dos casos da Lava Jato, Teori Zavascki, depois de uma manifestação formal do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Para justificar o pedido, enviado ao ministro Teori Zavascki na última quarta (09/09), o delegado Josélio Azevedo de Sousa diz que o petista “pode ter sido beneficiado pela esquema em curso na Petrobras”.

“Atenta ao aspecto político dos acontecimentos, a presente investigação não pode se furtar de trazer à luz da apuração dos fatos a pessoa do então Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que, na condição de mandatário máximo do país, pode ter sido beneficiado pela esquema em curso na Petrobras, obtendo vantagens para si, para seu partido, o PT, ou mesmo para seu governo, com a manutenção de uma base de apoio partidária sustentada à custa de negócios ilícitos na referida estatal”, diz o pedido.

O documento ainda complementa: “Neste cenário fático, faz-se necessário trazer aos autos as declarações do então mandatário maior da nação, Luiz Inácio Lula da Silva, a fim de que apresente a sua versão para os fatos investigados, que atingem o núcleo político-partidário de seu governo”.

O Instituto Lula afirmou, na tarde desta sexta-feira (11), que até o momento não tem conhecimento do relatório entregue pela Polícia Federal ao Supremo Tribunal Federal pedindo que o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, seja ouvido em inquérito pela Operação Lava Jato no STF, em função de seu foro privilegiado. Lula está a trabalho na Argentina e ainda não teve acesso ao documento.

No documento, são mencionados depoimentos de dois delatores da Lava Jato, o doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. O delegado diz que ambos fazem menções ao ex-presidente Lula. “Os delatores presumem que o ex-presidente tivesse conhecimento do esquema, mas não dispõem de elementos concretos para a participação dele”, diz o texto.

O delegado Josélio Azevedo de Sousa, que assina o pedido, admite não ter provas diretas que apontam favorecimento do petista no esquema de corrupção da Petrobras.

Mesmo assim, acredita que a investigação “não pode se furtar à luz da apuração dos fatos” se Lula foi ou não beneficiado, “obtendo vantagens para si, para seu partido, o PT, ou mesmo para seu governo, com a manutenção de uma base de apoio partidário sustentada à custa de negócios ilícitos na referida estatal”.

PF diz não ter provas, mas pede para ouvir Lula | Brasil 24/7

Polícia Federal pede para interrogar o ex-presidente Lula | EXAME.com

Fonte: Delegado da PF pede que Lula seja ouvido na Lava Jato – Política | Portal A TARDE

Presidente do Corinthians desconversa sobre criação de liga: ‘Não sei se é melhor para o futebol’

Para a Polícia Federal, as investigações da Lava Jato deixam claro que se trata de “um esquema de poder político alimentado com vultuosos recursos da maior empresa do Brasil”.

Diante de tais suspeitas, a PF elencou a lista de pessoas do “primeiro escalão” que deveriam ser ouvidas. Lula está lá, embora não tenha mais foro privilegiado. A PF não explica por que pediu ao Supremo a tomada do depoimento – e não à primeira instância.

O pedido ainda será analisado pela Procuradoria-Geral da República. Pelas regras em vigor no STF, os pedidos da PF só são avaliados pelo ministro relator dos casos da Lava Jato, Teori Zavascki, depois de uma manifestação formal do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Para justificar o pedido, enviado ao ministro Teori Zavascki na última quarta (09/09), o delegado Josélio Azevedo de Sousa diz que o petista “pode ter sido beneficiado pela esquema em curso na Petrobras”.

“Atenta ao aspecto político dos acontecimentos, a presente investigação não pode se furtar de trazer à luz da apuração dos fatos a pessoa do então Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que, na condição de mandatário máximo do país, pode ter sido beneficiado pela esquema em curso na Petrobras, obtendo vantagens para si, para seu partido, o PT, ou mesmo para seu governo, com a manutenção de uma base de apoio partidária sustentada à custa de negócios ilícitos na referida estatal”, diz o pedido.

O documento ainda complementa: “Neste cenário fático, faz-se necessário trazer aos autos as declarações do então mandatário maior da nação, Luiz Inácio Lula da Silva, a fim de que apresente a sua versão para os fatos investigados, que atingem o núcleo político-partidário de seu governo”.

O Instituto Lula afirmou, na tarde desta sexta-feira (11), que até o momento não tem conhecimento do relatório entregue pela Polícia Federal ao Supremo Tribunal Federal pedindo que o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, seja ouvido em inquérito pela Operação Lava Jato no STF, em função de seu foro privilegiado. Lula está a trabalho na Argentina e ainda não teve acesso ao documento.

No documento, são mencionados depoimentos de dois delatores da Lava Jato, o doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. O delegado diz que ambos fazem menções ao ex-presidente Lula. “Os delatores presumem que o ex-presidente tivesse conhecimento do esquema, mas não dispõem de elementos concretos para a participação dele”, diz o texto.

O delegado Josélio Azevedo de Sousa, que assina o pedido, admite não ter provas diretas que apontam favorecimento do petista no esquema de corrupção da Petrobras.

Mesmo assim, acredita que a investigação “não pode se furtar à luz da apuração dos fatos” se Lula foi ou não beneficiado, “obtendo vantagens para si, para seu partido, o PT, ou mesmo para seu governo, com a manutenção de uma base de apoio partidário sustentada à custa de negócios ilícitos na referida estatal”.
PF diz não ter provas, mas pede para ouvir Lula | Brasil 24/7

Polícia Federal pede para interrogar o ex-presidente Lula | EXAME.com
Roberto de Andrade acredita que a Comissão de Clubes da CBF já é suficiente

Fonte: Presidente do Corinthians desconversa sobre criação de liga: ‘Não sei se é melhor para o futebol’

G1 – Parlamentares reagem negativamente à perda do grau de investimento – notícias em Política

A perda do grau de investimento na classificação da agência de avaliação de risco Standard and Poor’s repercutiu negativamente no Congresso. A nota do país foi rebaixada de “BBB-” para “BB+”, com perspectiva negativa. A Standard and Poor’s é a primeira entre as principais agências a tirar do país o selo de bom pagador.

 

Fonte: G1 – Parlamentares reagem negativamente à perda do grau de investimento – notícias em Política

‘PES 2016’ assina exclusividade com Corinthians e terá 24 times brasileiros

A Konami anunciou nesta segunda-feira (31) que assinou um acordo de exclusividade com o Corinthians para o jogo “Pro Evolution Soccer 2016”, que chega no dia 15 de setembro. Além do clube da capital paulista, “PES 2016” terá outros 23 times brasileiros, incluindo todas as equipes da Série A do Brasileirão.

Estão no game Corinthians, Atlético-MG, Grêmio, Fluminense, São Paulo, Palmeiras, Sport, Atlético-PR, Chapecoense, Ponte Preta, Internacional, Santos, Flamengo, Cruzeiro, Figueirense, Avaí, Goiás, Coritiba, Joinville e Vasco da Gama. Além da elite do Campeonato Brasileiro, o game terá ainda quatro times da Série B: Bahia, Vitória, Botafogo e Criciúma.

O anúncio é um alento para os fãs de games de futebol, em particular de “PES”, após um 2014 turbulento. No ano passado, “Fifa 15” foi lançado sem nenhum time brasileiro, enquanto “PES 2015” chegou às lojas com as licenças dos times, mas apenas parte dos elencos.

Na ocasião, o diretor da Electronic Arts afirmou ao G1 que os clubes mudaram a forma de licenciar os direitos de imagem dos atletas, o que causou os impasses. Até o momento, a EA não confirmou oficialmente quais equipes brasileiras estarão em “Fifa 16”, que pela primeira vez terá seleções femininas de futebol.

“PES 2016” será lançado em 15 de setembro para PlayStation 4, Xbox One, Xbox 360, PS3 e PC. Neymar é o garoto-propaganda do game e, por causa disso, recebeu tratamento especial na captura de movimentos e no escaneamento facial.

G1 – ‘PES 2016’ assina exclusividade com Corinthians e terá 24 times brasileiros – notícias em Games

Por essa Gilmar Mendes não esperava: TSE aponta 15 irregularidades nas contas de Aécio e tem até omissão de doação da Odebrecht

Na verdade o povo brasileiro pode entender que se há irregularidades na campanha de Aécio Neves, então é o sujo falando do mal lavado, sim porque foi Aécio quem solicitou investigação das contas de Dilma, visando assim impugnar a candidatura Dilma-Temer e obrigando o TSE a convocar nova eleição, na qual ele imagina ser o favorito. O Brasil não merece ter à frente do governo alguém que joga tão baixo contra adversários e omite da sociedade seus próprios erros ou irregularidades.

A relatora do processo que examina a prestação de contas da campanha do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à Presidência da República, a ministra Maria Thereza de Assis Moura solicitou ao tucano esclarecimentos sobre 15 suspeitas de irregularidades detectadas nos documentos entregues ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de acordo com informações do jornal “O Estado de S.Paulo” deste domingo (30).

Entre as supostas irregularidades, estão doações feitas pelas empreiteiras Odebrecht e Construbase que somam R$ 3,75 milhões. A assessoria do PSDB afirmou que as respostas já foram dadas e que as irregularidades apontadas pelo TSE são falhas contábeis.

Entre elas está o fato de Aecio ter repassado para o PSDB uma doação de R$ 2 milhões da Odebrecht, mas não ter registrado a transferência na prestação de contas.

“O comitê financeiro nacional para presidente da República do PSDB registrou em sua prestação de contas o recebimento de doação de R$ 2 milhões, efetuada pelo candidato, no entanto, não há o registro da transferência na prestação de contas”, afirma o relatório técnico da Justiça Eleitoral. A Odebrecht é uma das empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato e seu presidente, Marcelo Odebrecht, está preso desde 17 julho.

Segundo dados divulgados pelo Estado de S. Paulo, além da Odebrecht, o TSE aponta também uma diferença entre o valor declarado pela campanha e o montante efetivamente doado pela construtora Construbase. O candidato tucano recebeu R$ 1,75 milhão, mas declarou R$ 500 mil.

A operação Lava Jato já estava em curso em 2014, e não era difícil prever que a empreiteira estaria entre as investigadas por Sérgio Moro. A corrupção dos outros é muito feia para o Senador mineiro, mas é preciso que ele explique o porque desta omissão. O alto tucanto preferiu se calar diante dos fatos apresentados pelo TSE, pelo menos até agora nenhum cacique questionou os fatos e nem se pronunciou contrário a divulgação.

De acordo com a assessoria técnica do tribunal, Aécio repassou para o PSDB uma doação de R$ 2 milhões da Odebrecht, mas não registrou a transferência na prestação de contas. A empresa é investigada na Operação Lava Jato e doou R$ 8 milhões à campanha do tucano e R$ 16,7 milhões ao comitê da presidente Dilma Rousseff. “O comitê financeiro nacional para presidente da República do PSDB registrou em sua prestação de contas o recebimento de doação de R$ 2 milhões, efetuada pelo candidato, no entanto, não há o registro da transferência na prestação de contas”, afirma o relatório técnico da Justiça Eleitoral.

Vai observando aonde o Brasil vai entrar com Aécio e sua turma de Tucanos, que aceitam dinheiro de corrupção e não declaram. A doação petista pode ser oriunda da corrução, mas esta por dentro (foi declarada), enquanto a dos tucanos tem a mesma origem e foi feita por fora (Não declarada).

Gilmar Mendes, o ‘apito-amigo’ do ‘Fora Dilma’ no TSE — CartaCapital