Romário dispara contra Platini: ‘Se for eleito, pode continuar a mesma m…’ 

A corrupção esta impregnada em governos e entidades asntes vistas como sérias. A corrupção propriamente dita é inerente ao comportamento humano, claro que não podemos generalizar, mas em se trtando de FIFA começamos a enxergar que o futebol nos últimos 40 anos foi alicerçado sobre mentiras todos os lados.

As teorias da conspiração que sempre surgem após derrotas históricas de favoritos em Copas do Mundo sempre soaram como absurdas, principalmente pela valorização dos atletase e os altos cifrões administrados por dirigentes de todas as esferas. Em 1998 uma destas teorias conspiratórias que correu a boca míuda retrtavam um subornoaos brasileiros para que a França vencesse a Copa do Mundo em sua casa e entrassse de vez no primeiroMundo da bola, os atletas brasileiros ganhavam verdadeiras fabulas, muitos pensavam ser impossivel pagar um suborno desta magnitudepor se tratar de valores astronomicos que fogem da realidade humana e transcendem a realidade de qualquer povo, de qualquer país no Mundo.

O Brasil com seu favoritismo latente, seus craques excepcionais e toda a sua tradição perdeu a Copa do Mundo de 1998, trouxe a França para o centro do Mundo esportivo como novo um protagonista. Ao Brasil restava esperar 4 anos para que a retribuição viesse diante de um caidinho fitebol alemão que como já se sabia seria sede da Copa seguinte, Copa esta esta que a nação de Ângela Merkel teria comprado o direito de sediar o Mundial, mas não de vence lo naquele ano.

E assim sucessivamentem os acordos teriam sido fechados para que os interesses da Fifa e seus parceiros comerciais e institucionaisfossem preservados em detrimento da paixão das pessoas pelo esporte bretão ao redor do Mundo

O jornal alemão Der Spiegel acusou nesta sexta-feira a Alemanha de ter comprado votos na Fifa para vencer eleição da sede da Copa do Mundo de 2006, o que foi negado pela federação do país (DFB), que reconheceu um pagamento de 6,7 milhões de euros não ligado à competição.

O Spiegel garantiu que o comitê de candidatura alemão montou um ‘caixa dois’ que serviu para comprar votos para o Mundial-2006, graças ao empréstimo pessoal do empresário suíço de origem francesa Roger Louis-Dreyfus, na época chefão da Adidas e ex-dono do clube Olympique de Marselha.

Segundo o jornal alemão, o empresário emprestou 6,7 milhões de euros à DFB antes da escolha do país-sede, em 6 de julho de 2000. O empréstimo teria servido para garantir os votos de quatro membros asiáticos do Comitê Executivo da Fifa, incluindo o sul-coreano Chung mong-joon.

Ou seja, a França que supostamente teria comprado um titulo de nobreza no esporte em 1998, precisou retribuir a gentileza brasileira devolvendo a coroa, ai entram um empresário francês, ligado a Adidas que teria ajudado os alemães a sediar o mundial, a recolocar a Itália no cenário futebolistico depois de sucessivos escândalos de manipulação de resultados e que após inserção da Espanha neste contexto dos melhores do Mundo, a própria Alemanha seria retribuída pelo Brasil 12 após “pagar” a conta da França.

As denúncias que pega daqui e pega dali são rechaçadas pelos personagens, mas se ligar os pontinhos nos últimos 40 anos veremos que o caos estabelecido na credidibilidade do futebol mundial faz sim algum sentido.

Romário dispara contra Platini: ‘Se for eleito, pode continuar a mesma m…’ – ESPN.com.br

a45e2-quest25c325a3o2bbrasil

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s