O Rio é um mar de cocô

Blog do Paulinho

A nuzmania e os hermidas

Da FOLHA

Por MARILIZ PEREIRA JORGE

Não há o que temer. Como diz o presidente do COB, ‘as águas nos locais de competição são iguais para todos’

Eu moro em frente ao Canal de Marapendi, na Barra da Tijuca, numa rua arborizada, com ciclovia de ponta a ponta. Para chegar até a praia, uso uma balsa que faz a pequena travessia entre a minha rua e o Posto 7. Acho tudo bucólico.

Numa manhã qualquer, lá fui eu para um mergulho, e as margens do canal estavam brancas, coalhadas de garças, perduradas nas árvores. Pensei ser um sinal de recuperação, de que a água do canal estava mais limpa, e que havia peixe de sobra dando bobeira para as garças famintas.

Aparentemente havia mais peixes. Mas eram os peixes de sempre acostumados com a água fétida e suja. Tinha chovido tanto nos dias anteriores que o lodo havia se movido e…

Ver o post original 431 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s