Tarifaço de energia é, também, resultado da traição da CNI e da Fiesp

Palavras Diversas

Governo errou ao fazer afagos ao empresariado sem exigir contrapartidas de curto/médio prazo Governo errou ao fazer afagos ao empresariado sem exigir contrapartidas de curto/médio prazo

Em 2012, após intensa campanha publicitária da Fiesp, o governo resolveu baixar uma medida provisória que reduziria os custos da energia elétrica, para consumidores residenciais e dos setores produtivos.

A presidenta chegou a afirmar em um evento da Confederação Nacional da Indústria (CNI),  “reduzir o preço da energia é uma decisão da qual o governo federal não recuará, apesar de lamentar profundamente a imensa falta de sensibilidade daqueles que não percebem a importância disso”. Os índices alcançaram recuo de 20% nas tarifas de energia elétrica e foi saudado pelo empresariado como uma medida modernizadora e significativa para a redução do custo Brasil, redução da inflação, através dos preços de produtos industrializados, dos produtos agrícolas e no comércio.

O governo até então era demonizado pelos agentes do mercado como intervencionista, em excesso, na economia.

Mas esta intervenção foi…

Ver o post original 588 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s